Conheça as diferenças e vantagens do sinal de TV digital em relação ao analógico

Com o guia produzido pela AOC, os consumidores podem identificar os benefícios reais para o seu cotidiano tendo em vista o início do processo de desligamento do sinal analógico no país

Na primeira década do século XXI, o Brasil iniciou sua trajetória na era digital, com a primeira exibição de programas de TV com sinal neste formato. A tecnologia atual se baseia em como os sinais são utilizados em transmissões televisivas, com dados analógicos ou digitais. Contudo, o Ministério das Comunicações estabeleceu o desligamento do sinal analógico no país, e as mais recentes previsões apontam o encerramento completo para 2023, mas o consumidor precisa ficar atento e se adaptar o quanto antes para não sofrer com a mudança. Em Brasília, por exemplo, será feito o desligamento em outubro desse ano, enquanto que em São Paulo será no ano seguinte, em 2017.

Para a migração total de sinais acontecer, é necessário que ao menos 93% da população já esteja preparada para receber o sinal digital. Entretanto, mesmo com o passar dos anos, ainda há dúvidas dos consumidores em relação às diferenças entre os formatos. Para esclarecer essa questão, a AOC preparou um guia que mostra os benefícios da transição do sinal analógico para o digital e como as pessoas podem se preparar para que aconteça o mais rápido possível.

O que são o sinal analógico e o digital
    
O analógico é um tipo de sinal contínuo que varia com o passar do tempo, o que gera uma qualidade inferior e de menor confiança, devido à oscilação que resulta em uma faixa de frequência maior.    Os sinais analógicos são encontrados em diversas ocasiões, como na voz humana e nos sons captados por microfones, com ondas contínuas e assimétricas. 
    
O formato digital se difere do analógico por não possuir um sinal contínuo. Enquanto o analógico traz infinitas variações, o digital se altera com menor frequência, fato que reduz a oscilação do sinal. Essa simplificação permite que a transmissão feita neste formato possua melhor qualidade de imagem e som, além de menores gastos com armazenamento de dados e tempo de processamento.

Benefícios da transição

Mesmo com a primeira transmissão digital iniciando a mudança, o processo de transição efetiva foi adiado algumas vezes e iniciado timidamente no final de 2015, com data de término prevista para o ano de 2023. Em Brasília, por exemplo, está previsto ainda para 2016, enquanto que em São Paulo será em 2017. Isso significa que dentro de alguns anos o sinal analógico será totalmente desligado e o formato digital se tornará exclusivo. 

“As tecnologias mais modernas permitem que o sinal digital entregue imagem e som com mais qualidade em relação ao analógico, trazendo melhorias na transmissão aos consumidores”, afirma Antonio Bernardes, gerente de TVs da TPV, fabricante responsável pela produção dos televisores e monitores da AOC.  Essa mudança não significa apenas o fim dos chiados nos programas de TV. A transição também pode gerar uma grande melhoria nos sistemas de telecomunicações, pois os sinais digitais transmitem mais informação, ocupando menos espaço de rede.

Com todo o Brasil deixando de receber o sinal de TV aberta pelo modo antigo, a modernização abrirá espaço de onda para as demais necessidades, como a rede 4G. Isso trará um forte aumento de qualidade de conexão em celulares com utilização de pacotes de dados. Para que isso tudo seja possível, os consumidores devem estar preparados para a transição, fazendo uso de equipamentos compatíveis com o sinal digital.

Sugestões de produtos para a troca

No mercado há opções de televisores com ótimo custo-benefício para quem não quer gastar muito, mas precisa se adequar ao novo cenário. “A série 1461 da AOC, por exemplo, é ideal para quem deseja sair do sinal analógico, pois possui receptor digital integrado (DTV), além de menu rápido e intuitivo, com mais qualidade e aprimoramento em design”, afirma Antonio Bernardes.

Os produtos da série, disponíveis em tamanhos de tela entre 19 e 49 polegadas, contam com alta qualidade de imagem, resolução Full HD (versões de 24”, 43” e 49”), tela LED e tecnologias de imagem que garantem redução de ruído. Possuem também opções de conectividade com entradas HDMI, VGA (versões de 19” e 24”) e USB, as mais utilizadas no mercado de eletroeletrônicos.

Abaixo, segue a lista de produtos da série 1461 da AOC, com diversas opções de tamanho, para qualquer cômodo da casa:

19”
Para ambientes com espaço reduzido, como varandas e cozinhas, a TV precisa ter uma tela pequena. Como sugestão, há o modelo da série 1461 de 19 polegadas da AOC, que possibilita plugar dispositivos, como notebooks, pelas entradas VGA, HDMI e USB.
Preço: R$ 899

24”
Também para ambientes pequenos, como cozinhas e quartos menores, o ideal é que a TV não tenha uma tela muito grande. Como sugestão, a AOC indica o modelo da série 1461 de 24 polegadas, que possui conexões completas para o que o consumidor desejar: uma entrada VGA, uma P2, duas HDMI e uma USB.
Preço: R$ 999

32”
Em quartos de tamanho médio, a AOC recomenda o modelo de 32 polegadas da série 1461, por possuir um tamanho de tela que não ocupará espaço demais, mas que permite ter uma ótima experiência visual nos programas preferidos dos consumidores.
Preço: R$ 1.399

43”
A TV AOC de 43 polegadas da série 1461 é indicada para quartos maiores e salas medianas, onde a distância permite uma tela um pouco maior para os espectadores sem causar esforço ocular, além de aproveitar toda a qualidade de imagem Full HD em filmes, séries, etc.
Preço: R$ 1.999

49”
Já para grandes salas de estar ou de jantar, que pedem uma tela maior, a TV AOC de 49 polegadas da série 1461 é ideal para proporcionar melhor experiência ao telespectador ao receber um blu-ray ou uma TV por assinatura, por exemplo, pois possui 2 entradas HDMI e resolução Full HD para reprodução de conteúdo.
Preço: R$ 2.399

Sobre o grupo TPV no Brasil 

O grupo TPV está presente no Brasil desde 1997 e também produz em regime de OEM para diversas marcas com operação local e internacional. A TPV Technology Limited (www.tpv-tech.com) é o principal fabricante global de displays. O grupo vem conduzindo seu crescimento ao longo dos anos através de suas economias de escala e competências essenciais em P&D (pesquisa e desenvolvimento), fabricação, eficiência logística e qualidade. Atualmente produz no País monitores, DS (para sinalização digital), TVs, computadores All In One e tablets, com marca própria AOC, marca Philips (sob licença, para Monitores, TVs e DS) e em regime de OEM para diversas marcas com operação local e internacional. O Grupo TPV é listado nas bolsas de valores de Hong Kong e Cingapura desde outubro de 1999.
Website: www.tpv-tech.com

Sobre a Royal Philips Electronics

A Royal Philips Electronics da Holanda (NYSE: PHG, AEX: PHI) é uma empresa diversificada de saúde e bem-estar, com foco em melhorar a vida das pessoas por meio de inovações oportunas. Líder global em cuidados com a saúde, estilo de vida e iluminação, a Philips integra tecnologia e design ao prover soluções para as pessoas, baseadas fundamentalmente em pesquisas com consumidores. Com sede na Holanda, a Philips emprega aproximadamente 122 mil funcionários em vendas e serviços em mais de 100 países. Com um volume de vendas de 22,6 bilhões de euros em 2011, a empresa é líder de mercado em soluções para cuidados cardíacos, cuidados com a saúde em casa, soluções eficientes em iluminação e novas aplicações de iluminação, bem como em produtos de consumo e estilo de vida para o bem-estar pessoal, com forte posicionamento em barbeadores elétricos, entretenimento portátil e saúde bucal. Mais informações sobre a Philips podem ser encontradas no site www.philips.com/newscenter.

Voltar

Quer consultar todas as informações já divulgadas sobre AOC nos meios de comunicação? Fale com a gente.

  • Érica Rizzi comunicacao@tpv-tech.com Tel: +55 11 97152-4643

Comparar produtos

    comparar esses produtos